Previous
Next

Estrutura Verde Urbana:
Estudo da relação entre morfologia do espaço público e diversidade de flora e de fauna na cidade do Porto.



Book II – Habitat Mapping and Characterization (English)

Farinha-Marques, P., Fernandes, C., Guilherme, F., Lameiras, J.M., Alves, P., Bunce, R. (2015).
Morphology & Biodiversity in the Urban Green Spaces of the City of Porto. Book II – Habitat Mapping and Characterization. Vairão: CIBIO, UP.

ISBN: 978-989-98732-4-7


download



Book I – Selection of the study areas (Portuguese), 2nd Edition

Farinha-Marques, P., Fernandes, C., Lameiras, J.M., Silva, S., Guilherme, F. (2014).
Morfologia e Biodiversidade nos Espaços Verdes da Cidade do Porto – Livro 1: Selecção das áreas de estudo – 2ª Edição, revista e aumentada. Vairão: CIBIO, UP.

ISBN: 978-989-98732-2-3


download

As estruturas verdes são elementos paisagísticos fundamentais para a promoção e conservação da biodiversidade nas áreas urbanas ou a ser urbanizadas. Arquitectos paisagistas, arquitectos, urbanistas e gestores deviam estar aptos a desenvolver abordagens integradas que promovam as estruturas verdes urbanas de acordo com as actuais necessidades sociais, suportados por um profundo conhecimento sobre os ecossistemas urbanos. Essas abordagens devem criar oportunidades para convívio de pessoas, plantas e animais, em espaços públicos partilhados, com o mínimo conflito possível. Uma maneira de atingir esses objectivos é através de um equilibrado ordenamento e desenho do espaço exterior e da paisagem, o qual reflicta o desenvolvimento de uma matriz verde de habitats de uso múltiplo, acessos e equipamentos com significativa qualidade estética.

Neste sentido, é importante responder a algumas questões: Qual a relação entre o carácter espacial da estrutura verde urbana e a biodiversidade que alberga? Como é que a organização e o desenho do espaço influenciam a diversidade da flora e da fauna? Quais as estratégias espaciais e quais as ferramentas podem ser usadas por planeadores, projectistas e gestores para abordar o tema da biodiversidade no ambiente urbano?

Este projecto terá lugar na cidade do Porto, o centro de uma área metropolitana com cerca de dois milhões de habitantes. É a segunda maior cidade portuguesa, com um ameno clima atlântico, com importantes e diversos habitats naturais próximos uns dos outros (rio Douro e sua foz, frente oceânica, ribeiras ainda com troços ao ar livre e zonas de escarpa) e ainda com variados habitats de origem humana com diferentes características, dimensões, localização e conectividade (parques, jardins, matas e zonas agrícolas residuais, jardins históricos, zonas industriais abandonadas e espaços ruderais). O contexto geográfico, social e ambiental da cidade em conjunto com uma elevada diversidade de situações, numa malha urbana relativamente densa e compacta, faz do Porto um espaço ideal no âmbito do sul da Europa.

Esta proposta de investigação surge na sequência de estudos de planeamento desenvolvidos à escala regional, liderados a participados por membros desta equipa, tais como: “Estrutura Regional de Protecção e Valorização Ambiental ” e “Estrutura Ecológica do Arco Metropolitano do Porto” incluídos no “Plano Regional de Ordenamento do Território – Norte (PROT-Norte)”, e a “Rede de Parques Metropolitanos do Porto (GAMP)”, um projecto a decorrer para a Grande Área Metropolitana do Porto. Esta proposta pode beneficiar da bases de dados e experiência adquirida nestes projectos de planeamento e assim fazer evoluir os resultados obtidos para abordagem à escala local, com dados de maior pormenor, essencialmente obtidos em levantamentos de campo, no sentido de influenciar o desenho dos espaços exteriores orientado para a promoção da biodiversidade. O seu carácter inovador manifesta-se na revelação dessas qualidades tangíveis, sobretudo as que ocorrem na proximidade dos utilizadores humanos.

O projecto inicia-se com uma revisão bibliográfica sobre o planeamento e desenho de estruturas verdes nas principais cidades europeias de modo a aprender com as abordagens seguidas. Será feita uma reflexão comparativa identificando as variáveis mais relevantes já estudadas, bem como problemas e soluções encontradas.
Seguem-se levantamentos de campo e classificação das unidades que integram a estrutura verde urbana. Cada unidade será posteriormente analisada ao nível do seu carácter espacial, ordenamento e desenho, uso humano, diversidade de habitats, ocorrência de espécies de plantas e animais, e interesse estético. Sequencialmente serão examinadas as relações entre os tipos de espaços identificados e as suas qualidades analisadas, usando técnica de correlação de dados, análise multivariada, sistemas de informação geográfica, análise e interpretação paisagística, crítica paisagística e avaliação estética da paisagem. Com base na interpretação dos dados recolhidos em trabalho de campo, a equipa discutirá a existência de padrões espaciais que criam oportunidades ou problemas à biodiversidade urbana, tentando concluir sobre quais as estratégias de planeamento e desenho têm impacte a esse nível.

Os resultados devem contribuir para a revisão da Estrutura Ecológica Urbana ao nível do Plano Director Municipal do Porto, e para produzir um conjunto de medidas orientadoras e recomendações no âmbito do planeamento, desenho e gestão da estrutura verde da cidade.
A divulgação dos resultados é uma prioridade. Estes serão primeiramente publicados num “site” da internet em tempo real, promovendo a troca de informação entre pessoas e instituição interessadas nesta matéria ao nível global. Os resultados também serão publicados em livro (formato analógico e digital) e inspirarão a produção de várias publicações a submeter a revista científicas.

Topo