Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C.
Sugerimos que actualize o browser para ter uma melhor experiência de utilização.
Mais informações em webstandards.org

 
PT 
 EN
_
ad
 
A FCUP
ALUNOS
ENSINO
INVESTIGAÇÃO
DEPARTAMENTOS
PESSOAS
SERVIÇOS
CONTACTOS
INFOCIÊNCIAS
17 DEZEMBRO / DOMINGO
23:28

Consultar informação atualizada no SIGARRA [››]


Regulamento

     [››] 4. Reserva de Competência
     [››] 5. Regime de frequência e avaliação
     [››] 3. Comissão de Coordenação do Mestrado
     [››] 2. Mestrados da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto
     [››] 1. Objectivo e âmbito de aplicação
     [››] 6. Apresentação da dissertação
     [››] 8. Júri de avaliação final
     [››] 7. Inscrições

     4. Reserva de Competência

         

    Cabe à Comissão Científica do Departamento ou Secção Autónoma associada a um Mestrado do tipo I, a competência para propor o funcionamento de uma edição do Mestrado, fazer a proposta da fixação do número de vagas incluindo o número de vagas fixadas para situações especiais, fazer a proposta do número mínimo de inscrições necessárias ao funcionamento do curso, e propor a distribuição de serviço associado à parte lectiva do Mestrado. Para os Mestrados do tipo II, compete à Comissão Coordenadora do Conselho Científico as aprovações dos actos referidos neste número, ouvidos os Departamentos ou Secções Autónomas envolvidas.
    No caso de entenderem conveniente poderão as Comissões Científicas, ou a Comissão Coordenadora do Conselho Científico, solicitar às Comissões de Coordenação dos Mestrados que iniciem as propostas respeitantes às competências mencionadas neste número.

     5. Regime de frequência e avaliação

         

    As regras de matrícula e de inscrição, bem como o regime de faltas, da avaliação de conhecimentos e de classificação para as disciplinas que integram o curso, serão as previstas na lei e estatutos para os cursos da Faculdade de Ciências excepto no que forem contrariadas pelo disposto no presente Regulamento ou nos Regulamentos específicos dos Mestrados. Neste particular existirá, no máximo, uma única época de recurso e não haverá lugar para exames de melhoria de nota.

     3. Comissão de Coordenação do Mestrado

         

    1. Cada Mestrado da Faculdade de Ciências terá uma Comissão de Coordenação do Mestrado constituída por três a quatro membros, professores ou investigadores doutorados.

    2. A Comissão de Coordenação do Mestrado é nomeada por:
      1. Comissão Científica do Departamento ou Secção Autónoma associada ao Mestrado para Mestrados do tipo I.
      2. Comissão Coordenadora do Conselho Científico para Mestrado do tipo II.
    3. A Comissão de Coordenação do Mestrado poderá ser substituída pelo órgão que a nomeou quando se inicia uma nova edição do Mestrado, sem prejuízo de se manter em funções para assegurar o expediente remanescente associado à edição anterior do Mestrado. Não havendo iniciativa de substituição, considera-se automaticamente prorrogado o mandato da Comissão de Coordenação do Mestrado.

    4. Em casos considerados excepcionais pelo órgão nomeador poderá ser feita a substituição total ou parcial da Comissão de Coordenação do Mestrado ainda no decorrer duma edição do Mestrado.

    5. Na primeira reunião, após ter sido nomeada, a Comissão de Coordenação do Mestrado elegerá um dos seus membros para Coordenador do Mestrado. Para além de funções específicas que lhe sejam atribuídas pelos Regulamentos o Coordenador do Mestrado tem genericamente as funções usuais do Presidente de um órgão colegial, no caso a Comissão de Coordenação do Mestrado.

    6. A primeira reunião da Comissão de Coordenação do Mestrado é convocada pelo Presidente do órgão nomeador.

    7. São competências da Comissão de Coordenação do Mestrado:
      1. Apresentar a proposta referente ao calendário do processo de candidatura, selecção e inscrição do Mestrado;
      2. Apresentar a proposta dos cursos que constituem habilitações ao curso de Mestrado;
      3. Apresentar a proposta de estrutura curricular e plano de estudo;
      4. Apresentar a proposta referente ao calendário lectivo, exames e entrega de tese;
      5. Apresentar a proposta sobre o montante das propinas;
      6. Nomear os orientadores de dissertação, obtido o acordo do orientador e do orientado;
      7. Proceder à substituição do orientador, no caso em que tal se justifique;
      8. Apresentar a proposta de selecção e seriação dos candidatos ao Mestrado;
      9. Apresentar propostas de colaboração de docentes exteriores à Faculdade de Ciências;
      10. Apresentar as propostas de constituição dos júris de avaliação final;
      11. Velar pelo bom funcionamento das actividades ligadas ao Mestrado.
    8. As propostas mencionadas no n.º 3.7 são apresentadas ao órgão nomeador e terão em conta as deliberações de ordem geral sobre o funcionamento dos Mestrados aprovadas pelo Conselho Científico.No caso de Mestrados do tipo I, poderá a Comissão Científica do Departamento ou Secção Autónoma associada ao Mestrado comunicar à Comissão Coordenadora do Conselho Científico quais as matérias referidas no ponto 3.7 que serão objecto de tratamento directo entre a Comissão de Coordenação de Mestrado e a Comissão Coordenadora do Conselho Científico.

     2. Mestrados da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

         

    1. Para efeitos do disposto no presente Regulamento dividem-se os mestrados em que a Faculdade de Ciências é a única instituição responsável em dois tipos:

      Mestrados do tipo I: designam-se assim os mestrados que foram criados a partir da proposta oriunda de um único Departamento ou Secção Autónoma.

      Mestrado do tipo II: Designam-se assim todos os outros mestrados da responsabilidade única da Faculdade de Ciências.

      Os Mestrados do tipo I dependem funcionalmente do Conselho Científico via Comissão Científica do Departamento ou Secção Autónoma responsável pela proposta de criação.
      Os Mestrados do tipo II dependem funcionalmente da Comissão Coordenadora do Conselho Científico.

     1. Objectivo e âmbito de aplicação

         

    1. Em complemento ao fixado pelo Decreto-Lei 74/2006, de 24 de Março, e pelo Regulamento dos Mestrados da Universidade do Porto estabelece-se neste diploma o Regulamento dos Cursos de Mestrado da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Sem prejuízo do previsto no subnúmero seguinte, o presente Regulamento fixa as regras a que se deve submeter o funcionamento dos Mestrados da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Caso se justifique, um Mestrado da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto poderá ter no seu Regulamento próprio cláusulas adicionais unicamente aplicáveis a esse Mestrado.
    2. A Faculdade de Ciências é presentemente co-responsável por Mestrados envolvendo outras Faculdade da Universidade do Porto ou outras Universidades. É de prever que no futuro sejam criados Mestrados em situações semelhantes. Os Regulamentos destes Mestrados poderão apresentar desvios em relação ao estabelecido no presente Regulamento se tal for entendido conveniente pelos Conselhos Científicos das instituições envolvidas no Mestrado.

     6. Apresentação da dissertação

         

    1. Dentro do prazo fixado no calendário deverá ser entregue no Conselho Científico um exemplar da dissertação, em forma provisória, e o requerimento de submissão às provas.
    2. No prazo de cinco dias úteis, após recepção no Conselho Científico do despacho de nomeação do júri das provas, deverá o aluno de mestrado providenciar para que sejam entregues no Conselho Científico os exemplares da tese para os membros do júri.
    3. Após realização das provas os candidatos aprovados deverão entregar no Conselho Científico quatro exemplares da tese na forma definitiva, devidamente certificadas pelo Presidente do júri. Não serão passadas certidões ou cartas magistrais sem terem sido entregues as teses definitivas.

     8. Júri de avaliação final

         

    1. O júri é constituído por:
      1. O Coordenador do Mestrado, que preside, podendo delegar num professor ou num investigador doutorado da Faculdade de Ciências;
      2. O orientador da dissertação;
      3. Outro professor ou investigador doutorado, da área específica do Mestrado, pertencente a outra Universidade;
      4. Poderão ainda fazer parte do júri até mais dois professores da Faculdade de Ciências.
    2. No caso de existir um co-orientador este pode fazer parte do júri. Haverá então, necessariamente, um quinto membro do júri, professor ou investigador doutorado da Faculdade de Ciências.
    3. Se o Coordenador do Mestrado for o orientador da dissertação, será incluído no júri um professor ou investigador doutorado da Faculdade de Ciências para garantir um número mínimo de 3 membros do júri.

     7. Inscrições

         

    Um aluno não se pode inscrever mais de duas vezes nas disciplinas da parte escolar do Mestrado. A segunda inscrição está condicionada pela deliberação de fazer funcionar uma nova edição do Mestrado e pela autorização da, eventualmente nova, Comissão de Coordenação do Mestrado. No caso de ser aceite a segunda inscrição o aluno correspondente não conta para efeitos do numerus clausus fixado para a nova edição.

e-LEARNING
AUTENTICAÇÃO
QUICKLINKS
Webmail
Cooperação Internacional
Centro Informática
Biblioteca
Bolsa Emprego
Como chegar à FCUP?
FUNDO ANTIGO
NOTÍCIAS
GALERIA IMAGENS
SAÚDE E BEM-ESTAR
LINHA SOS - UP
AEFCUP
FCUP 2017